Galeria inaugurada no Rio vai preservar memória da zona portuária da cidade

  • 08/10/2017 - 15h18

Lígia Souto

A Galeria Novocais, em Santo Cristo, na zona portuária do Rio de Janeiro foi inaugurada neste fim de semana, como o objetivo de preservar a região, que já foi o principal polo econômico da cidade.

 

Com dois andares e área total de 312 metros quadrados, o local abriga a mostra permanente, Porto Cidade – a Memória do Lugar, que resgata a história urbana e cultural da zona portuária, em um recorte entre os anos de 1800 e 1980.

 

Estão expostas ao público na galeria mais de 300 imagens de acervos como os do Instituto Moreira Salles, Museu da Imagem e do Som, a Biblioteca Nacional, Docas, Marinha, O Globo e Jornal do Brasil, além de desenhos de Heitor dos Prazeres.

 

Segundo a curadora, a arquiteta Ana Borelli, no térreo foi exposta a “malha afetiva” da região portuária, passando por fotografias do século 19 e com destaque para a primeira obra da região, entre 1903 e 1911, quando foi feito o aterro e o construído o porto. A linha cronológica vai até as obras do Elevado da Perimetral, demolido em 2013, e termina em 1980.

 

Para incluir os moradores da região, foi montada a sala Sebastião Pires – Em Busca do Tempo Perdido, dedicada ao fotógrafo nascido e criado no Morro do Pinto e que registrou entre as décadas de 1940 e 1970 a vida cotidiana e festiva nos morros da região. Completa a galeria uma homenagem ao músico Ernesto Nazareth, nascido no Santo Cristo em 1903.

 

A galeria Novocais fica aberta de segunda a sexta-feira das dez da manhã às cinco da tarde e aos sábados entre onze e quatro da tarde. As visitas são gratuitas.

Ir para a versão desktop