No Rio de Janeiro, sétima edição da Festa Literária das Periferias celebra a temática negra

  • 06/11/2018 - 15h24

Carol Barreto

Colocar a literatura negra no centro das discussões: essa é a missão a que se propõe a FLUP (Festa Literária das Periferias) em sua 7ª edição, que começa nesta terça-feira (06).

 

A abertura será na Biblioteca Parque Estadual e o restante do evento, no Cais do Valongo, que foi um dos principais locais de entrada de africanos escravizados durante o período da colonização.

 

Ao longo dos seis dias, a programação vai contar com mesas de debate, apresentações de poesia falada e atividades para o público infantil, somando mais de 80 escritores, poetas e debatedores nacionais e internacionais.

 

Membro da equipe de comunicação da FLUP , Vitória Régia Gonzaga explica como a escolha da temática da negritude impacta a programação do evento.

 

Nesta sétima edição, a FLUP escolheu homenagear dois grandes nomes da cultura brasileira: o cantor e compositor Martinho da Vila e a primeira romancista brasileira, Maria Firmina dos Reis, ainda pouco conhecida do público mais amplo.

Ir para a versão desktop