Cordéis do acervo da Casa de Rui Barbosa serão digitalizados

  • 09/02/2019 - 09h17

Tâmara Freire

Cerca de nove mil cordéis que fazem parte do acervo da Casa de Rui Barbosa estão sendo digitalizados e podem ficar disponíveis online.

 

Até o momento, 2 mil obras já foram digitalizadas e o projeto vai prosseguir ao longo do ano de 2019 para abranger as outras 7 mil.

 

A publicação online para acesso ao público em geral vai depender da aprovação de cada cordelista ou de seus familiares, mas no caso das obras que já estão em domínio público, a disponibilização está garantida.

 

O acervo da Fundação Casa de Rui Barbosa é muito procurado por pesquisadores por conter algumas das primeiras versões impressas da literatura de cordel, produzidas no início do século 20, como um exemplar de oito páginas de autoria do paraibano Francisco Chagas Batista, datado de 1905 e que conta a vida do cangaceiro Antonio Silvino.

 

A coleção de cordel da fundação começou inclusive quando o filho de Batista doou seu acervo particular para a Casa de Rui Barbosa que é responsável pela conservação de muitos registros da literatura brasileira.

 

Com a digitalização e publicação, a expectativa é que as obras fiquem mais acessíveis para estudiosos de todo o brasil e sejam utilizadas mais amplamente como material paradidático nas escolas.

Ir para a versão desktop