Sem fogueira e quadrilha junina, lives agitam as noites de São João em Campina Grande e Caruaru

  • 22/06/2020 - 13h50

Lucas Pordeus León

Saem de cena a fogueira, a quadrilha junina e as barraquinhas de comidas típicas e entram, no lugar, as lives com artistas que costumam agitar as noites de São João. Não parece, mas nesta terça-feira (23) é a véspera do dia de São João, feriado em todo o Nordeste. Se não fosse a pandemia do novo coronavírus, teríamos milhares de pessoas a caminho dos principais polos da festa, entre eles, Caruaru, em Pernambuco, e Campina Grande, na Paraíba.

 

Com o São João cancelado, o jeito é dançar um forró dentro de casa. A prefeitura de Campina Grande promove apresentações ao vivo de artistas consagrados do são João paraibano, como destacou a secretária de desenvolvimento econômico do município, Rosália Lucas.

 

As transmissões online serão nesta terça-feira )23), véspera do feriado de São João no Nordeste, e também na quarta-feira (24) e no sábado (27), sempre a partir das cinco horas da tarde. Os próprios artistas também promovem apresentações online para arrecadar recursos já que não há mais shows neste São João.

 

A assistente social Cristina Santa Cruz tem uma casa próxima ao Parque do Povo, onde ocorriam as festividades em Campina Grande. Ela costumava receber a família durante todo o mês de junho para curtir os 30 dias de festa. Neste ano, ela não recebeu ninguém e vai acompanhar o São João só pela internet.

 

Estima-se que o São João só em Campina Grande movimenta R$300 milhões. Em 2019, mais de R$1,8 milhão pessoas passaram pela cidade para curtir o São João. Neste ano, até mesmo as fogueiras foram proibidas no estado para evitar aglomerações.

 

As tradicionais quadrilhas juninas também precisaram suspender as apresentações e, com elas, toda uma economia é paralisada. O produtor de festivais de quadrilhas, Lima Filho, revela que o setor está de luto por causa da pandemia.

 

Em Caruaru, outro polo das festividades juninas, a prefeitura lançou o portal saojoaocaruarusolidario.com.br para recolher doações. Os recursos serão destinados para os cerca de 12 mil trabalhadores que fazem parte da cadeia produtiva do São João só em Caruaru.

 

* Áudio substituído às 9h42 de 23/06/20 para incluir versão sonorizada

Ir para a versão desktop