Lives de concertos: tradicional sala Cecília Meireles lança programação online

  • 24/07/2020 - 18h40

Solimar Luz

O Rio vai ganhar de volta uma das mais tradicionais salas de concertos do País. Fechada pela pandemia, a Sala Cecília Meireles, cravada em tradicional área da região central da cidade, vai retomar as atividades no dia 1º de agosto. Desde sua criação em 1965, a Casa abriu seu palco para de grandes apresentações, como a da Orquestra Petrobras e o Festival de Música da Rádio MEC FM.


Reconhecida internacionalmente como um dos principais espaços para a música de concerto, com um sistema de som considerado um dos melhores da América Latina, a Sala Cecília Meireles faz parte da arquitetura de um dos bairros cariocas mais imponentes: a Lapa.


É ali, no vai e vem de carros e pessoas, que o prédio, erguido em 1896 e que abrigou diversas atividades, de mercearia a cinema, se transformou em espaço para um variado time de artistas, oferecendo ao público o que há de melhor em espetáculos musicais.


E nem o logo período de reforma no passado, nem mesmo o atual momento de isolamento social, parece capaz de interromper a trajetória e o sonho, o projeto de que a sala também funcione como um polo difusor de conhecimento.


Como a poetisa que dá nome ao espaço, a sala se reinventa, cria, recria. E, sem perder a elegância, ganha um novo endereço: o das plataformas digitais. É ali, no Youtube, que a partir do dia 1º de agosto, começa a temporada 2020 de espetáculos, como explica o compositor, professor e gestor cultural João Guilherme Ripper, atual diretor da Sala Cecília Meireles.


Para João Guilherme este é um desafio que marca não só a trajetória, mas também a função social e de popularização do espaço.


A agenda de concertos 2020 contempla todas as vertentes musicais que sempre encontraram espaço na sala.


“Blim, Blem, Blom”, realizado em parceria com a Rádio MEC FM, abre a programação, no dia primeiro, ao meio-dia, dentro da série "Concertos Petrobras para Todas as Famílias”.


Em setembro e novembro, o destaque são as sonatas para violino e piano de Beethoven. Já em outubro, o foco será a música barroca. E em dezembro, fechando o ano, a agenda terá o espetáculo Canção da Terra, de Mahler.


Durante as transmissões on-line serão recolhidas doações para o Sindicato dos artistas e técnicos do Rio de Janeiro.


Após as transmissões, que têm patrocínio da Petrobras, as apresentações ficarão disponíveis no YouTube, e farão parte do acervo digital da Sala Cecília Meirelles.


Toda a programação está disponível na Internet, na página salaceciliameireles.rj.gov.br

Ir para a versão desktop