Projeto acolhe filhos de ambulantes que estão trabalhando no carnaval no Rio

  • 12/02/2018 - 19h50

Lígia Souto

Os vendedores ambulantes que estão trabalhando no carnaval no Rio podem contar com dois espaços para deixar os filhos enquanto exercem suas atividades: Obra do Berço, na Lagoa, e Educandário Romão Duarte, no Flamengo, ambos na Zona Sul da cidade.

 

O projeto é uma iniciativa do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, e visa oferecer um espaço de convivência para as crianças enquanto seus pais trabalham nos desfiles ou blocos de carnaval no entorno da Marquês de Sapucaí.

 

Desde a abertura oficial da folia, uma equipe de abordagem da Secretaria Municipal de Assistência Social tem circulado pela região central cidade orientando vendedores ambulantes a encaminhar seus filhos para os centros de acolhimento.

 

O Juiz Pedro Henrique Alves, da 1ª Vara da Infância, Juventude e Idoso explicou que o projeto, que foi implantado pela primeira vez no ano passado, foi idealizado para proteger as crianças que, nas ruas, acabam expostas e a todo tipo de violência.

 

Até o dia 14 de fevereiro, quarta-feira de cinzas, quem tem até 11 anos vai receber alimentação, recreação, podendo pernoitar no local. O serviço funciona 24 horas por dia, sendo que o horário de retirada dos filhos pelos pais ou responsáveis é entre 8 da manhã e cinco da tarde, durante o carnaval, e até meio-dia da quarta-feira de cinzas.

Ir para a versão desktop