Cartilha alerta sobre exploração sexual de crianças e adolescentes nas rodovias federais

  • 14/05/2018 - 17h08

Sayonara Moreno

As rodovias federais do país possuem quase dois mil e quinhentos pontos vulneráveis à exploração sexual de crianças e adolescentes. Desse total, quase quinhentos são considerados críticos, pela Polícia Rodoviária Federal. A corporação divulgou, nesta segunda-feira, a cartilha do projeto mapear, que traz o levantamento dessas regiões nas estradas federais.

 

O diretor-geral substituto da PRF, Marcelo Moreno, explica que o acompanhamento para esse tipo de situação é feito por uma rede integrada, entre União, estados e municípios.

 

Segundo a cartilha, a Região Nordeste lidera o ranking, com 644 pontos de risco. O Ceará é o que tem os piores índices: são 81 pontos, seguido de Goiás, Pará, Minas Gerais e Paraná.

 

Entre as rodovias federais, a BR's 116 e 101 têm mais pontos em que os direitos das crianças são vulneráveis, sobretudo devido às extensões, já que são estradas que cortam o país.

 

O principal desafio que a PRF aponta está no controle e fiscalização das rodovias estaduais. Para isso, a corporação sugere que elas passem a ser monitoradas com a mesma metodologia da PRF pelas Polícias Militares dos estados.

 

A iniciativa também é proposta pelo Ministério dos Direitos Humanos, como explica a secretária Nacional Dos Direitos Da Criança e do Adolescente, Berenice Maria Giannella.

 

Segundo a PRF, desde 2005, quase cinco mil crianças e adolescentes foram resgatados em situações de abuso ou exploração sexual. Os principais locais em que essa exploração ocorre são postos de combustível, bares, casas de shows e também em pontos de alimentação, hospedagens e comércios.

 

A cartilha mapear ainda mostra que quase 60% dos pontos de risco estão em trechos que cortam as zonas urbanas.

 

A cartilha ainda explica que abuso sexual ocorre quando a criança ou adolescente é usado para satisfação sexual de adultos. Já a exploração sexual ocorre quando as vítimas são usadas, convencidas ou coagidas a oferecer sexo em troca de dinheiro, favores ou presentes.

 

Qualquer situação desse tipo em rodovias no país deve ser informada à PRF, pelo número 191, ou pelo telefone dos direitos humanos, o Disque 100.

Ir para a versão desktop