Detentas em Cuiabá participam de projeto de cultivo de flores para comercialização

  • 01/01/2019 - 11h09

Renata Martins

RefloreSer. Este é nome do projeto que pode dar novos horizontes para 60 reeducandas da Penitenciária Feminina Ana Maria do Couto May, na capital mato-grossense.

 

O cultivo das flores será feito dentro da própria unidade prisional. A plantação, em uma área de 800 metros, também vai dar novos aromas e cores ao concreto e descampado da penitenciária.

 

As detentas passarão por capacitação na produção de flores de corte, em vasos e também mudas. O curso, com duração de 8 meses, terá início em fevereiro e será oferecido pela Universidade Federal de Mato Grosso.

 

A produção vai começar em outubro. A renda obtida da comercialização será dividida em duas partes: metade para pagar o trabalho das reeducandas e a outra destinada à manutenção das atividades, como compra de sementes e adubos.

 

O projeto é da Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos em cooperação com diversas instituições.

 

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) investiu R$ 120 mil no projeto para a construção de uma estufa na unidade prisional e compra dos materiais necessários para o plantio das flores.

Ir para a versão desktop