Rio será a primeira cidade brasileira a adotar internação involuntária de dependentes químicos

  • 08/08/2019 - 20h03

Fabiana Sampaio

O prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivela, tomou a decisão após um morador de rua esfaquear e matar duas pessoas, no dia 28 de julho. O ministro da Cidadania, Ormar Terra, confirmou que o governo Federal vai dar apoio ao município no planejamento das ações a longo prazo.

 

A lei federal que prevê a internação involuntária de dependentes químicos foi sancionada em junho e o Rio é a primeira capital a mostrar disposição para enfrentar o problema.

 

O prefeito Crivela estima que os recursos spara a nova política serão de milhões de reais e virão dos três níveis de governo, mas ainda não há estimativas de quantas pessoas poderão ser internadas, nem o número de leitos para esses pacientes.

 

No entanto, eles serão submetidos de forma compulsória a um exame médico antes de serem internados.  

 

 

Ir para a versão desktop