Prefeitura do Rio lança ações contra exploração sexual de crianças e adolescentes

  • 18/05/2020 - 16h41

Lígia Souto

Com a necessidade do isolamento social para conter a disseminação do novo coronavírus, outro problema acabou se potencializando: a exposição de crianças a situações de violência.

 

Para prevenir e conscientizar sobre esses riscos, a prefeitura do Rio de Janeiro lançou diversas ações neste 18 de maio, Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes.

 

As atividades acontecem ao longo de todo o mês por meio de uma plataforma digital, com o objetivo de ampliar o conhecimento, promover a capacitação de profissionais e sensibilizar a sociedade para o problema.

 

Em todo o mundo, a maior parte da violência a que meninas e meninos são submetidos acontece dentro de casa. No Brasil, a cada 15 minutos, uma criança ou adolescente sofre violência sexual e 77% dos agressores são do grupo familiar ou conhecido da vítima, segundo a Safernet, organização sem fins lucrativos dedicada à defesa e promoção dos direitos humanos na Internet.

 

Em 2019, mais de 76 mil denúncias envolvendo crianças e adolescentes foram registradas no Disque Direitos Humanos, o chamado Disque 100. Dessas, mais de 17 mil se referiam a violência sexual,  de acordo com dados do Ministério da Mulher, da Família e Direitos Humanos. Na cidade do Rio, também no ano passado, foram realizadas mais de duas mil notificações de violência contra crianças de 0 a 9 anos de idade.

Ir para a versão desktop