Ajuda na pandemia: escolas de samba do RJ recebem 18 toneladas de alimentos e itens de higiene

  • 17/07/2020 - 17h07

Tatiana Alves

Escolas de samba da Série A, principal divisão de acesso do carnaval carioca, receberam, nesta sexta-feira, alimentos da Organização Não Governamental Ação da Cidadania. Os sambistas receberam 18 toneladas de alimentos não perecíveis e material de higiene.


Entre as escolas do grupo de acesso que serão contempladas está o Império Serrano, que homenageou o sociólogo Herbert de Souza, o Betinho, fundador da Ação da Cidadania. Em 1996, um ano antes de sua morte, Betinho foi homenageado por meio do samba-enredo “E verás que um filho teu não foge à luta”. À época, Betinho declarou que o desfile seria ótimo para a campanha contra a fome.


As escolas beneficiadas estão localizadas em cinco municípios do estado: Rio de Janeiro, Niterói, Belford Roxo, São Gonçalo e São João de Meriti. Cerca de 1,8 mil profissionais do carnaval receberam as cestas de alimentos e os kits de higiene.


Neste sábado, a Associação das Velhas Guardas, Associação das Baianas do Samba e o Baile dos Passistas receberão suas cestas das mãos do carnavalesco Milton Cunha na Marquês de Sapucaí.


A iniciativa foi motivada pelo possível adiamento do carnaval de 2021, quando muitos profissionais da economia criativa do carnaval, entre eles, costureiras,  aderecistas, coreógrafos, carnavalescos e ritmistas, ficarão sem ter como manter seu sustento, como explica o filho de Betinho e presidente do Conselho da Ação da Cidadania, Daniel Souza.


Daniel Souza acredita que a parceria vai gerar frutos, já que cada uma das escolas de samba da Série A poderá se transformar num comitê da Ação da Cidadania.

Ir para a versão desktop