Trocando em Miúdo: Coordenadora da Proteste conta como está andamento do Plano de Saúde Popular

  • 21/04/2017 - 01h56

Apresentação Eduardo Mamcasz

Olá, prezada pessoa ouvinte cidadã.

 

Vamos falar do Plano de Saúde Popular. Paga pouco, mas recebe pouco, o essencial, se ficar doente. Nada a ver com o Sistema Único de Saúde (SUS). Esse plano foi anunciado pelo governo, lá em novembro, depois de discutido no Ministério da Saúde, que convidou representantes de diversos setores envolvidos no assunto.

 

Depois, foi mandado para o setor técnico, que é a Agência Nacional de Saúde Suplementar, a ANS. Mas, afinal, como está mesmo o andamento desse Plano de Saúde Popular? Vamos saber com a Maria Inês Dolci, coordenadora institucional da Proteste – Associação de Consumidores.


Maria Inês, a senhora participou da primeira fase das discussões lá no Ministério da Saúde. Então, ajuda a gente. Nesta fase agora, ele parece meio escondido. Como está a implementação disso?


E vamos em frente. Depois que a ANS liberar a proposta em análise, volta para o Ministério da Saúde, para a palavra final do governo. Primeiro, explique para nosso ouvinte o que de fato seria este Plano de Saúde Popular?


Fechando a prosa. Maria Inês Dolci, da Proteste, avalia pra gente se, do jeito como ficou acertado, a pessoa que resolver pagar por esse plano de saúde mais barato, pra ela vai valer a pena?


Então, tá. Inté e axé.

 

 

Trocando em Miúdo: Quadro do programa "Em Conta", da Rádio Nacional da Amazônia. Aborda temas relacionados a economia e finanças, traduzidos para o cotidiano do cidadão. É distribuído em formato de programete, de segunda a sexta-feira, pela Radioagência Nacional. Acesse aqui as edições anteriores.

Ir para a versão desktop