Piora a expectativa em relação ao mercado de trabalho em outubro, segundo a FGV

  • 08/11/2018 - 15h08

Cristiane Ribeiro

Os dois indicadores da Fundação Getúlio Vargas, que medem o comportamento do mercado de trabalho no país, apresentaram piora de setembro para outubro, segundo comunicado divulgado nesta quinta-feira (08) pela instituição.

 

O Indicador Antecedente de Emprego recuou 0,2 e atingiu 90,8 pontos em uma escala de zero a 200 pontos - em que quanto maior a pontuação, pior é o quadro.


 
Este indicador tenta antecipar tendências do mercado de trabalho com base em entrevistas com consumidores e empresários dos setores da indústria e de serviços.


 
Segundo a FGV, o recuo do indicador mostra uma reversão do otimismo em relação à atividade econômica, que teve desempenho abaixo do esperado em 2018. Além disso, há incertezas em relação ao crescimento em 2019.


 
Já o Indicador Coincidente de Desemprego, calculado com base na percepção dos consumidores sobre o nível de desemprego no país, aumentou 2,6 e chegou a 100,2 pontos.


 
De acordo com a FGV, a piora desse indicador mostra um mercado de trabalho ainda bastante difícil. A Fundação Getúlio Vargas até reconhece um recuo suave das taxas de desemprego, mas em níveis tão tímidos que não dão aos trabalhadores uma sensação real de melhora.

Ir para a versão desktop