Indicador de Incerteza da economia sobe 1,4 ponto em novembro, aponta FGV

  • 28/11/2018 - 16h47

Lígia Souto

O Indicador de Incerteza da Economia, medido pela Fundação Getulio Vargas (FGV), subiu 1,4 ponto de outubro para novembro. Com isso, o indicador chegou a 111,7 pontos em uma escala de 0 a 200 pontos e manteve comportamento de incerteza alto.


O avanço foi provocado pelo componente da mídia, que é baseado na frequência de notícias com menção à incerteza e que subiu 3,7 pontos de outubro para novembro.


Já o componente da expectativa, calculado a partir das previsões dos analistas econômicos para a taxa de câmbio e a taxa Selic, caiu 8,4 pontos no período.


De acordo com a pesquisadora da FGV, Raíra Marotta, apesar de a equipe econômica do presidente eleito Jair Bolsonaro se mostrar comprometida com as contas públicas, há incerteza relacionada ao alinhamento do novo Congresso com uma agenda liberal-econômica.


Ela afirmou, ainda, que a tendência é que o nível de incerteza se mantenha elevado até que o presidente eleito assuma o cargo, no dia primeiro de janeiro de 2019, e que essas questões sejam definidas.

Ir para a versão desktop