Na Trilha da História: Entre guerras com franceses, tamoios e tupinambás, surge o Rio de Janeiro

  • 03/03/2018 - 08h01

Apresentação Isabela Azevedo

Olá, eu sou a Isabela Azevedo e começa agora mais uma versão reduzida do Na Trilha da História. Hoje nós vamos falar sobre o primeiro século do Brasil Colônia, em especial sobre a fundação da cidade do Rio de Janeiro. Nosso entrevistado é o jornalista Pedro Doria, autor do livro 1565 - Enquanto o Brasil nascia, relançado recentemente pela editora HarperCollins! Ele conta que, nas primeiras décadas depois do descobrimento do Brasil, a coroa portuguesa não deu importância para a nova colônia.

 

Sonora: “Especiarias, os diversos temperos que vinham da Índia e de outros pontos da Ásia valiam uma quantidade enorme de dinheiro. O Brasil tinha algum valor por causa do pau-brasil, que fazia uma tinta de certa qualidade, mas tinha tinta melhor na Europa. Assim, a tinta que vinha do pau-brasil era coisa pequena. Não era algo que valesse tanto assim a atenção do rei português. A preocupação dele era o outro lado do mundo."

 

Naquela época, o litoral brasileiro era dominado pelos índios tupis.

 

Sonora: "Nós sabemos que os tupis eram um povo muito guerreiro, eles viviam lutando entre si, e existem vários grupos que ganham vários nomes em determinadas regiões. Quando você vai para o Sudeste, você encontra tupiniquins, tupinambás, tamoios, temiminós. Tupiniquins e tupinambás eram inimigos uns dos outros e viviam em guerras extremamente violentas."

 


Foi nesse contexto que nasceu a cidade do Rio de Janeiro. Nas décadas de 1550 e 1560, a região da Guanabara abrigava uma pequena colônia francesa.

 

Sonora: “Villegagnon era um cavaleiro de Malta, era um homem católico e é um pouco por conta dessa fidelidade dele à coroa que ele é autorizado a construir uma colônia no Brasil. O que hoje a que chama de Baía Guanabara e do Rio de Janeiro era a França Antártica. A França Antártica era um projeto particular do Villegagon, não era um projeto da coroa francesa, era um projeto particular."

 

Em 1565, uma batalha foi travada entre os portugueses e os aliados tupiniquins contra os franceses, aliados dos tupinambás. Em pouco tempo, a maior parte dos franceses foi expulsa da região, e o Rio de Janeiro nasceu oficialmente no dia 1º de março.

 

Sonora: “A França Antártica fracassou em menos de cinco anos por conta de si própria, ela não foi vencida pelos portugueses. Isso não quer dizer, porém, que não tenha havido uma guerra violenta, porque a turma que estava na Guanabara resistindo eram os tupinambás, eram os tamoios, que tinham um líder formidável, que era um cara chamado Aimberê. E essa, sim, foi uma guerra de dois anos. Os portugueses chegaram em 1565 para fundar o Rio de Janeiro e expulsaram os franceses em questão de dias, mas a guerra com os índios é uma guerra que durou dois anos.”

 

Esta foi a versão reduzida do Na Trilha da História. O episódio completo tem 55 minutos e traz, além da entrevista, na íntegra, com o escritor Pedro Doria, músicas que são a cara do Rio de Janeiro! Para ouvir acesse: radios.ebc.com.br/natrilhadahistoria. E se você quiser enviar uma mensagem pra gente, nosso e-mail é culturaearte@ebc.com.br. Até semana que vem, pessoal!

 

 

Na Trilha da História: Apresenta temas da história do Brasil e do mundo de forma descontraída, privilegiando a participação de pesquisadores e testemunhas de importantes acontecimentos. Os episódios são marcados por curiosidades raramente ensinadas em sala de aula. É publicado semanalmente. Acesse aqui as edições anteriores.

Ir para a versão desktop