Cidade pernambucana vira referência no combate à evasão escolar; índice quase zerou em 2017

  • 11/06/2018 - 12h15

Wellington Barros

O município pernambucano de São Bento do Una, a pouco mais de 200 quilômetros de Recife, conseguiu praticamente zerar a taxa de desistência escolar.

 

O número de estudantes que abandonaram a escola passou de quase 18%, em 2004, para 0,27%, no ano passado.

 

Este percentual é bem menor que a média nacional, de 3,6%.

 

O segredo ? União de esforços entre prefeitura, escolas, igrejas, Ministério Público, Conselho Tutelar e Conselho Municipal da Criança e do Adolescente, que literalmente arregaçaram as mangas para levar assistência às famílias dos alunos em situação de vulnerabilidade social.

 

O programa, chamado “Estou presente, professor”, começou a ser formulado há 14 anos e é aplicado desde a educação infantil até o nono ano em 66 escolas locais.

 

A partir de um sistema de monitoramento de faltas, são identificados os alunos que devem receber atendimento personalizado, como explica a prefeita Débora Almeida.

 

Sonora: “Quando a gente vê que ele está faltando sem justificativa, a gente já lança o alerta e aí tem uma equipe, tanto da escola, como também das secretarias de Educação e Assistência Social, que faz a visita à família e vê quais são os motivos pra que ele esteja faltando. E aí tem toda uma ação integrada de todas as secretarias e você tem um acompanhamento direcionado”.

 

Um exemplo dos resultados é que em 2017, houve apenas 22 desistências entre 10 mil alunos de São Bento do Una.

 

Além de combater a evasão escolar, o programa aumenta a presença dos alunos em sala de aula o que  contribui para melhorar o aprendizado e  diminuir as chances de reprovação.

 

Recentemente, o baixo custo e alto impacto social fizeram do programa “Estou presente, professor” um dos cinco no Brasil ganhadores do Prêmio MuniCiência, Organizado pela Confederação Nacional dos Municípios em parceria com a União Europeia.

 

O objetivo é reconhecer e divulgar boas práticas de gestão para que sirvam de referência em todo o país.

 

O diretor-executivo da confederação, Gustavo Cezário, destaca a importância da próxima fase do prêmio:

 

Sonora:  “A gente vai seguir agora para uma etapa de visitas a esses cinco municípios ganhadores, gerando aí um manual de como sistematizar essas práticas de forma que os prefeitos na sua cidade possam pegar essa prática e ter condição de adequar aquela experiência ao seu território”.

 

As outras quatro cidades ganhadoras do MuniCiência são Santa Clara do Sul e Rio Grande, localizadas no Rio Grande do Sul, Gurjão, na Paraíba e Abaetetuba, no Pará.

 

Ir para a versão desktop