Mães precisam de apoio da sociedade para garantir amamentação e saúde dos bebês

  • 04/08/2017 - 15h32

Mariana Martins

Superar as dificuldades, acreditar no seu corpo, contar com uma rede de apoio, apoiar outras mulheres, outras mães. Contar com a experiência e com a solidariedade de outras pessoas pode ser o caminho para muitas mulheres que não desistiram de amamentar mesmo tendo de início dificuldades.

 

O lema da Semana Mundial da Amamentação fala de Todos por um bem comum, diz que que ninguém pode amamentar por uma mulher, mas fala também que é com ajuda de todos que uma mulher deve amamentar.

 

Priscila Oliveira, mãe de Maria Luíza e Sofia não conseguiu realizar o sonho de amamentar a primeira filha, mas não se conformou. Com a chegada de Sofia, Priscila não se deu por vencida e tentou mais uma vez.

 

A história de Luiza Alves também é um conto de amor, repleto de apoio e persistência. Com a orientação do pediatra, Luiza fez a translactação para garantir a amamentação do primeiro filho que nasceu prematuro.

 

E a translactação também é um método que pode ser usado com o leite doado. E é para garantir o leite materno a crianças prematuras, que os bancos de leite funcionam no Brasil. 

 

Contudo, o leite recebido nos 221 bancos de leite e nos 119 postos de coleta do país são suficientes apenas para garantir 60% das demandas dos recém-nascidos prematuros e de baixo peso internados nas UTIs neonatais.

 

A chefe do Banco de Leite do Hospital Materno Infantil de Brasília, Raquel Prata,  fala que o envolvimento da sociedade no apoio às mães que amamentam é importante também para os bancos de leite maternos, porque uma mãe apoiada que vence os obstáculos, não raras vezes torna-se doadora.

 

E além de garantir uma alimentação ideal e saudável para o bebê, uma melhor recuperação pós-parto para as mães, de salvar a vida de mais de 800 mil crianças no mundo, de evitar doenças e fortalecer o sistema imunológico, de ser aconchego, carinho e segurança... o que mais pode encorajar uma mãe a amamentar?

 

Por isso lembre-se: apoiar, promover e proteger uma lactante é dever de toda as sociedade.

Ir para a versão desktop