História Hoje: Primeira romaria do Círio de Nazaré foi realizada em Portugal há 224 anos

  • 08/09/2017 - 07h38

Apresentação de Carmen Lúcia

Em 8 de setembro de 1793, foi realizada a primeira romaria oficial do Círio de Nazaré, na  cidade de Belém, no Pará.

 

Considerada a maior manifestação católica do país e uma das mais simbólicas do mundo, o Círio começa, atualmente, no segundo domingo de outubro.

 

Milhares de romeiros, devotos e pagadores de promessas seguem a imagem de Nossa Senhora de Nazaré em uma caminhada de fé pelas ruas. São quinze dias de celebração com várias e gigantescas procissões.
 

A tradição da festa foi herdada de Portugal, que faz a celebração todo dia 8 de setembro, na vila de Nazaré. A imagem original da Virgem Santa,  esculpida por São José, em Israel, no ano de 361, teria ficado escondida por muito tempo em terras portuguesas até ser trazida pelos jesuítas ao Brasil.

 

Segundo a lenda, o caboclo paraense Plácido de Sousa encontrou a imagem da santa, às margens do igarapé Murutucú. Plácido levou a imagem para casa e ela desapareceu à noite. Foi encontrada, no dia seguinte, no mesmo lugar onde tinha sido encontrada. E assim, por repetidas vezes, até que Plácido entendeu que ela queria ficar naquele lugar.

 

Então, ergueu uma cabana de oração no local. Assim, nasceu a Basílica Santuário Nossa Senhora de Nazaré, que hoje guarda a imagem autêntica da santa.
 

As mobilizações religiosas ganharam força e devotos de todos os cantos do Brasil e do mundo passaram a acompanhar as procissões do Círio de Nazaré em Belém e a atribuir diferentes milagres à Virgem Santa,  mãe de Jesus.

 

Em setembro de 2004, o Círio de Belém foi registrado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional como patrimônio cultural de natureza imaterial.

 

E em dezembro de 2013, a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura -Unesco, reconheceu o Círio de Nazaré como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.
 

A Virgem de Nazaré é considerada pelos católicos Padroeira do Pará e Rainha da Amazônia.

Ir para a versão desktop