Argentina nega ter cancelado jogo com Israel por discriminacão religiosa

  • 07/06/2018 - 20h55

Monica Yanakiew

O ministro das Relacões Exteriores da Argentina negou hoje que o amistoso entre as selecões de futebol de seu pais e de Israel tivesse sido cancelado por motivos de discriminacão religiosa.


 
"Não discriminamos ninguém por religião nem por raça," disse o ministro. A Argentina é sede da maior comunidade judaica da América Latina e também tem muitos imigrantes de países árabes.


 

O amistoso, inicialmente previsto para ser jogado na cidade de Haifa, virou polêmica internacional, depois que Israel transferiu o local para Jerusalém, a cidade sagrada está no centro de 70 anos de conflito entre israelenses e palestinos e é revindicada por ambos como capital.

 

Diante dos protestos dos palestinos e temendo pela segurança dos jogadores, a Associação de Futebol Argentina cancelou o jogo na quarta-feira.

 

A empresa que organizou o amistoso acusou a Argentina de discriminacão religiosa e pediu a FIFA que expulse a seleção do craque Lionel Messi da Copa do Mundo.    

  
Mas israel culpa os palestinos de terem ameacado os argentinos e feito “terrorismo futebolistico”.

Ir para a versão desktop