Justiça libera CT do Flamengo para uso parcial, mas condiciona funcionamento a laudo dos bombeiros

  • 17/04/2019 - 16h55

Raquel Júnia

Atendendo a um pedido do Flamengo, a 1ª Vara da Infância, da Juventude e do Idoso do Rio de Janeiro decidiu liberar parcialmente o Centro de Treinamento do Flamengo, conhecido como Ninho do Urubu, para ser usado pelas categorias de base do clube. Na decisão, o juiz Pedro Henrique Alves diz que os atletas de base, no entanto, não poderão dormir no local, apenas realizar treinamentos, atividades esportivas, frequentar os vestiários, centro médico e restaurante.

 

A decisão ocorre mais de dois meses depois do incêndio que deixou 10 jovens atletas mortos e três feridos, que dormiam no alojamento do CT.

 

A liberação, no entanto, não é imediata.

 

O juiz condicionou o uso do espaço à disponibilização de assistência médica integral e oportuna em caso de incidente de urgência e à realização de vistoria no local, com apresentação de relatório técnico do Corpo de Bombeiros no prazo de 30 dias.

 

O relatório tem o objetivo de verificar se foram sanadas as irregularidades apontadas no laudo de exigências e no termo de ajustamento de conduta (TAC) firmado com o Ministério Público estadual. Só após esse relatório é que o CT voltará a ser usado parcialmente.

 

Para pedir a liberação, o Flamengo argumentou que foram cumpridas todas as exigências feitas pelo Corpo de Bombeiros para as instalações do centro, faltando apenas a vistoria do Corpo de Bombeiros.

 

Uma audiência especial sobre o tema foi marcada para o dia 21 de maio na Vara da Infância, da Juventude e do Idoso.

 

O ultimo atleta sobrevivente da tragédia que ainda estava internado, Jhonata Ventura, de 15 anos, deixou o hospital no ultimo sábado (13).

 

Ele teve 30% do corpo queimado e teve que passar por diversas cirurgias reparadoras.  Jhonata agora segue o tratamento fora do hospital.

 

Ir para a versão desktop