Cidade maranhense age para bloquear sarampo

  • 13/08/2019 - 21h15

Sayonara Moreno

Depois de uma mulher do município maranhense de Vitorino Freire viajar para São Paulo e voltar à cidade de origem com SARAMPO, a Secretaria de Saúde do Maranhão anunciou medidas para impedir que a doença se espalhe pelo estado.

São as chamadas ações de bloqueio. Todas as pessoas que tiveram contato direto com a paciente infectada foram vacinadas para bloquear a ação do vírus do Sarampo. Além disso, a vacinação da população geral de Vitorino Freire vem sendo reforçada.

Segundo a Secretaria estadual de Saúde, a paciente tem 48 anos de idade e contraiu a doença em São Paulo, estado com o maior índice de casos de sarampo no país.

A mulher apresentou manchas avermelhadas pelo corpo, além de febre, conjuntivite, coriza e tosse: principais sintomas da doença.

Depois do diagnóstico, a paciente está isolada em casa, recebendo cuidados do marido, que já teve a sarampo e está imune ao vírus.

A Secretaria de Saúde informou que o vírus se espalha porque as pessoas deixam de se vacinar, mesmo com doses disponíveis nos postos de saúde.

Os cuidados com toda a população de Vitorino Freire começaram nesta semana, com o reforço da imunização em crianças e adultos.

O Brasil era um país considerado livre do sarampo, mas perdeu este selo no ano passado, depois que a Organização Mundial de Saúde confirmou MAIS DE DEZ MIL casos da doença em todo o país. No estado do Maranhão, o último caso havia sido registrado na cidade de Coelho Neto, em 1999.

Segundo o Ministério da Saúde, entre maio e o início de agosto deste ano, foram mais de NOVECENTOS casos de Sarampo no Brasil. Os estados com maior incidência são: São Paulo, com novecentos, Rio de Janeiro, com cinco e Bahia, um caso.

A doença também foi identificada no Pará, em Minas Gerais, Roraima, Mato Grosso, Amazonas e Santa Catarina.

Da Rádio Nacional em Brasília, Sayonara Moreno

Ir para a versão desktop