Crescem chamadas ao Samu para evitar tentativas de suicídio no Distrito Federal

  • 11/09/2019 - 18h45

Larissa Abreu*

Cresceu o número de chamadas ao Samu para evitar tentativas de suicídio no Distrito Federal. De acordo com o Núcleo de Saúde Mental do Samu, apenas no primeiro semestre deste ano foram atendidas 792 ocorrências de pessoas que tentaram tirar a própria vida no DF. São 114 a mais do que no mesmo período de 2018.

 

Também subiu de 171 para 219 o número de atendimentos para ideação suicida, que é quando uma pessoa planeja a própria morte.

 

Para o psicólogo Bruno Smith, esse aumento no número de chamadas é resultado das campanhas de prevenção, que incentivam a população a buscar ajuda.

 

“As pessoas estão mais bem informadas, têm se falado mais sobre isso, mais campanhas contra o suicídio e a favor da vida, e por esse motivo as pessoas tem recorrido mais ao nosso serviço”.

 

Segundo Smith, Brasília é a primeira cidade do país a receber os serviços do Núcleo de Saúde Mental do Samu. A equipe, composta por psiquiatra, psicólogo, assistente social e enfermeiro, atendem demandas relacionadas a transtornos mentais considerados graves.

 

“Como o Samu é um serviço de urgência e emergência, a equipe não vai para qualquer transtorno mental. Alguns transtornos menos graves a gente só orienta. A gente vai mesmo para os casos em que existe risco iminente à vida do paciente ou de pessoas próximas a ele”.

 

O suicídio pode ser prevenido. E o primeiro passo para evitar que ele aconteça é procurar ajuda profissional. Você pode buscar apoio em unidades básicas de saúde, centros de atendimento psicossocial e também no Centro de Valorização da Vida por meio do telefone 188.

 

*Estagiária, com supervisão de Gláucia Gomes

Ir para a versão desktop