Em recuperação após cirurgia, Bolsonaro tem alimentação oral suspensa

  • 11/09/2019 - 20h44

Eliane Gonçalves

O presidente Jair Bolsonaro segue internado em um hospital na capital paulista.

 

Ele teve que colocar uma sonda nasogástrica e suspender a alimentação oral.

 

Segundo o boletim médico divulgado nessa quarta-feira, o excesso de gases estava paralisando o funcionamento do intestino do presidente.

 

Segundo o médico responsável, Luís Antônio Macedo, com a mudança na dieta e a colocação da sonda já foi possível notar uma melhora no estado de saúde.

 

Ainda não existe previsão para o retorno à alimentação por via oral, mas segundo o médico ela pode ocorrer a qualquer momento.

 

O presidente segue com a fisioterapia e fazendo caminhadas pelo corredor do hospital. Durante a tarde chegou a caminhar 900 metros.

 

No final do dia o presidente voltou às redes sociais e comentou, pelo Twitter, a demissão do secretário especial da Receita Federal Marcos Cintra. Disse que a demissão foi feita a pedido dele, por divergências na reforma tributária.  Bolsonaro descartou a recriação da CPMF ou aumento da carga tributária.

 

Segundo a assessoria do Palácio Planalto, mesmo permanecendo internado, Bolsonaro reassume a presidência na República a partir de sexta-feira. Até a meia noite dessa quinta, o vice-presidente Hamilton Mourão segue como presidente em exercício.

 

Lembrando que o presidente se recupera de uma cirurgia feita no último domingo para a retirada de uma hérnia abdominal.

Ir para a versão desktop