Tesourinhas de Brasília em obras têm "estado crítico", pior do que o constatado antes

  • 13/02/2020 - 19h42

Dayana Vitor

As tesourinhas do Plano Piloto estão em situação pior do que havia sido constatado inicialmente. É o que mostra um relatório feito pela empresa responsável pela reforma dessas estruturas.


Para se ter uma ideia, as tesourinhas da 103/104 sul e da 115/116 Sul, além da 107/108 e 115/116 Norte, que atualmente estão fechadas para reforma, estão em grau crítico.


Mesmo assim, o diretor de Edificações da Novacap, Francisco Ramos, garante que não há risco para a segurança de quem passa perto do local. Ele ainda afirmou que essas obras deverão ser entregues agora em março.


“Estão todas dentro do fator de segurança, estamos trabalhando muito fortemente na recuperação dessas, vamos entregar à população um conjunto de tesourinhas novas, com a pintura antipichação, a pavimentação melhor. É uma obra necessária para Brasília, tem 60 anos que não se faz intervenção nesse tipo [de estrutura] da área central de Brasília”.


Segundo a empresa TAL, responsável pela reforma das tesourinhas, o maior problema são as corrosões nas bases do concreto. É que após anos de infiltrações e sem manutenção, reações químicas desgastaram o material, como detalha Francisco Ramos, da Novacap.


“Durante a execução dos serviços, principalmente na Asa Sul... é que elas eram revestidas e foram retirados esses revestimentos, e assim descoberta a real situação da estrutura. Principalmente afetado pela corrosão, que acaba danificando cada vez mais a estrutura”.


A previsão do governo é que todas as tesourinhas sejam entregues até novembro. O valor das obras é de cerca de R$ 7 milhões, se não houver acréscimos no decorrer das intervenções.

Ir para a versão desktop