Donald Trump e Kim Jong-un estão em Cingapura para reunião histórica

  • 11/06/2018 - 08h28

Leandra Felipe

Donald Trump voou do Canadá para Cingagura, nesse domingo (10), depois de um encontro do grupo dos sete países mais ricos do mundo, em Quebec, no Canadá. A reunião foi recheada de provocações. No fim das contas, Trump publicou, em uma mensagem no twitter, que retiraria o apoio americano ao comunicado final da cúpula.

 

Depois de uma reunião que termina com indícios de que uma guerra comercial pode estar a caminho, Trump chegou a Cingapura para o histórico e esperado encontro com Kim Jong-un em busca da paz.

 

 

A TV estatal da Coreia do Norte divulgou um comunicado de Kim Jong-un sobre a o primeiro encontro entre líderes dos dois países. O texto diz que questões sobre as novas relações entre Coreia do Norte e Coreia do Sul serão discutidas, bem como um mecanismo permanente e duradouro de manutenção da paz na península, além da desnuclearização e a paz duradoura.

 

Antes de embarcar, Trump não deu muitos detalhes sobre o que espera, mas disse acreditar que Kim Jong-un quer fazer algo por seu povo.

 

O primeiro-ministro de Cingapura, Lee Hsien Loong, informou à imprensa internacional que a reunião vai custar aproximadamente US$ 15 milhões, custo que, na visão dele, valerá a pena, porque a cidade-Estado também quer deixar sua marca neste esperado momento.

Ir para a versão desktop