Américas devem sofrer surtos recorrentes de Covid-19 nos próximos dois anos, afirma OPAS

  • 24/06/2020 - 18h33

Marieta Cazarré

A região das Américas registra quase a metade de todos os casos de contaminação por Covid-19 no mundo. De acordo com a Organização Pan-Americana da Saúde (Opas), até essa terça-feira (23) haviam sido registrados mais de 4,5 milhões de casos e 226 mil mortes na região, e as cifras, infelizmente, seguem aumentando.

 

Para a diretora da OPAS, Carissa Etienne, viveremos os próximos dois anos alternando surtos recorrentes e períodos de transmissão controlada da Covid-19.

 

Etienne ressaltou que, esta semana, o Brasil superou a barreira de um milhão de infectados, ultrapassando, assim como os Estados Unidos, os seis dígitos. Juntos, Brasil e Estados Unidos representam 76% do total de casos, e 76% do total de mortes nas Américas. O Brasil contribui com 25% dos infectados e 23% dos óbitos.

 

No dia 23 de maio, a região das Américas registrava 690 mil casos de contaminação. Em 23 de junho, exatamente um mês depois, o número já extrapolava os 2 milhões de infectados.

 

A diretora da OPAS lembrou que os mais vulneráveis são afetados de maneira desproporcional pela doença, e destacou a dificuldade que muitos grupos têm em seguir as recomendações de isolamento, entre eles famílias informais que vivem em casas superlotadas, os indígenas e as populações afrodescendentes em condições precárias, sem acesso à água corrente nem sabão.

 

O diretor do Departamento de Doenças Transmissíveis da OPAS, Marcos Espinal, destacou que o Brasil conseguiu aumentar o número de testes PCR para diagnóstico de Covid-19 nas últimas semanas, mas ainda não chega a 10 mil testes para cada milhão de habitantes.

 

Segundo ele, a testagem dá a magnitude de como está a doença nos estados e, assim, os tomadores de decisão podem definir o que é melhor para a população brasileira.

Ir para a versão desktop