Testes insuficientes e aumento de casos no Brasil preocupam Opas, que não recomenda flexibilização

  • 02/06/2020 - 17h17

Marieta Cazarré

As Américas já registraram, somadas, quase 3 milhões de casos de Covid-19, e as curvas de contágios seguem aumentando em muitas áreas. A região contabiliza mais da metade dos novos casos reportados mundialmente.


A diretora da Opas, Organização Pan-Americana da Saúde, Carissa Etienne, chama a atenção para três pontos fundamentais. O primeiro é que os governos devem pensar duas vezes antes de flexibilizar as medidas de distanciamento social, pois essa segue sendo a melhor estratégia para conter a propagação do vírus.


Ela reforça que, até o momento, as medidas mais efetivas são a ampla testagem, o rastreio dos casos e contatos, o tratamento dos doentes e o isolamento dos pacientes. E reafirma que o distanciamento social desacelera a transmissão de maneira que os serviços de saúde possam não entrar em colapso.


O segundo ponto é a vigilância como ferramenta mais valiosa para orientar as ações de saúde pública através dos testes.


O terceiro ponto é o fortalecimento dos sistemas de saúde. Para Etienne, o impacto na região foi severo, mas poderia ter sido pior. Ela ressaltou as dificuldades de combate ao vírus em algumas megacidades, onde muitas pessoas vivem muito próximas umas das outras e compartilham espaços e transporte público. E que há grupos pobres e vulneráveis que não têm os meios para permanecer em casa e se proteger.


Para Marcos Espinal, diretor do Departamento de Doenças Transmissíveis da Opas, a situação no Brasil é delicada e preocupa a organização, pelo aumento de casos e de mortes na última semana. Ele defende a continuidade de medidas de mitigação.


Espinal acrescenta que o Brasil ainda não tem um número suficiente de testes, realizando apenas cerca de 4,3 mil testes por milhão de habitantes enquanto outros países chegam a testar 15 a 25 mil pessoas por milhão de habitantes.


Já o gerente de Incidentes da Opas, Sylvain Aldighieri, apontou a apreensão da entidade com a prevenção e o controle da Covid-19 nas populações indígenas.

Ir para a versão desktop