Mourão vai ouvir ministérios e governadores para planejar ações do Conselho Nacional da Amazônia

  • 14/02/2020 - 15h50

Sayonara Moreno

Presidindo o Conselho Nacional da Amazônia, o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou, nesta sexta-feira, que ainda é cedo para traçar um cronograma de ações da entidade. Segundo ele, é preciso, antes, escutar demandas de ministérios integrantes e governadores de estados da Amazônia Legal.

 

“Eu estou ouvindo todos os ministérios que fazem parte do conselho para eles apresentarem quais as políticas em andamento, quais os principais problemas que eles estão enfrentando, também estou indo aos governos estaduais. Quando terminar, vamos ter um planejamento com ações prioritárias. A gente já sabe, por exemplo, que questão de desmatamento, de queimada, é um fato. Aí temos a questão da proteção, como a fronteira, a questão da bioeconomia”.


A declaração foi dada assim que o vice-presidente deixou o gabinete no Palácio do Planalto. Pela manhã, Mourão esteve com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e disse que existem desafios envolvendo o assunto em cada pasta.


“O Ministério do Meio Ambiente, muito ligado à preservação, obviamente; o Ministério da Economia, a questão do desenvolvimento, que é o mais complicado, o desenvolvimento sustentável - já que proteção e preservação, apesar de serem ações complexas, são mais objetivas e fáceis de serem conduzidas”.

 

Questionado sobre a avaliação de Bolsonaro a respeito da mudança do Conselho para ministério extraordinário, Mourão disse que ainda não conversou com o presidente e que a decisão ainda não foi tomada.

 

Com viagem marcada para o Amazonas, na próxima segunda-feira, Hamilton Mourão disse que vai se reunir com o governador do estado, Wilzon Lima, sobre a Zona Franca de Manaus, sua empregabilidade e tecnologias utilizadas. No encontro, também serão tratados detalhes sobre o Conselho Nacional da Amazônia.

Ir para a versão desktop