Astrônomo brasileiro explica descoberta de anel em planeta anão

  • 11/10/2017 - 20h39

Adrielen Alves

Cientistas anunciaram nesta quarta-feira a descoberta de um anel em um planeta anão na extremidade do nosso sistema solar, depois de Netuno e Plutão. Ele é chamado Haumea. A pesquisa foi publicada na revista Nature e conta com pesquisadores da França, da Espanha e do Brasil.

 

Entre eles está o professor doutor da Universidade Tecnológica Federal do Paraná, Felipe Braga Ribas. Ele explica que anéis são comuns em planetas gigantes e não em anões  e em outras localidades, por isso é considerado um achado.

 

Além do anel, o planeta anão Haumea tem características consideradas inusitadas como o formato alongado, parecido com uma bola de hugby. Ele leva menos de 4 horas para dar uma volta completa em torno do seu eixo – essa velocidade é uma das possíveis causas do formato achatado.

 

Participaram desse achado pesquisadores da Universidade Técniológia Federal do Paraná, do Observatório Nacional e do Observatório do Valongo, da Universidade Federal do Rio de Janeiro. E também cientistas de instituições internacionais, como o Instituto de Astrofísica de Andalucía (Espanha) e o Observatório de Paris-Meudon (França).

Ir para a versão desktop