Hidrômetro inteligente ajuda na economia e controle da qualidade da água

  • 19/05/2018 - 08h21

Wellington Barros

A tecnologia pode ser uma aliada na economia e também no controle de qualidade do líquido que chega na sua torneira. Um tipo de sensor, instalado próximo ao hidrômetro, é capaz de medir o fluxo, temperatura e o pH da água.

 

As informações são transmitidas para uma plataforma na internet, onde é possível conferir horários de pico de consumo, se a água é mesmo potável e até vazamentos.

 

Dois estudantes de Engenharia da Computação da Universidade de Brasília criaram o dispositivo, apelidado de Stillabunt. Eduardo Vilaça e Matheus Veleci foram reconhecidos com uma premiação internacional da oficina Fiware, direcionada  a protótipos de aplicativos para cidades inteligentes. A meta era descobrir uma solução tecnológica voltada ao desenvolvimento sustentável. Eduardo explica o invento.

 

Sonora (25''): É um sensor colocado no cano, que vai coletando a vazão; também temperatura, oxigênio, pH e envia a uma plaquinha conectada à rede e envia pro nosso software. Futuramente, vai virar um aplicativo de celular. No momento ainda é uma aplicação web que recebe e trata esses dados. A gente ainda não levou para a parte mobile. É uma plataforma na internet a qual o usuário pode acessar com seu login e senha e ter acesso às informações da residência dele.

 

Também chamado de hidrômetro inteligente, o dispositivo detecta o perfil de consumo, sugere dicas de economia de água e, assim, também pode orientar no corte de gastos em empresas. No décimo período de Engenharia da Computação, Eduardo acrescenta que, com o Stillabunt,distribuidoras de água poderiam se certificar se o líquido chega corretamente a todos os locais e se há vazamentos nesse processo.

 

Sonora (16''): O software pega mais ou menos o padrão de consumo daquela residência e descobre quanto que costuma gastar normalmente. E, por exemplo, se tem algum desvio nesse padrão, ou seja, se em algum momento do dia houve um consumo maior do que o que deveria ter, existe a possibilidade de vazamento. Então, é enviada notificação para o usuário.

 

O invento pode ainda detectar a qualidade do líquido, uma vez que consegue obter dados relacionados ao risco de contaminação por microrganismos, a exemplo do nível de oxigenação da água. 

 

A novidade ainda não está disponível, pois os desenvolvedores estão em busca de patrocínio para transformar o protótipo em aplicativo de celular.

 

Lembrando que a crise hídrica no DF está com os dias contados. Deve acabar dia 15 de junho, como anunciou recentemente o governo de Brasília. Mas é de fundamental importância continuar economizando água para diminuir as chances de um novo racionamento.

 

 

Ir para a versão desktop