Satélites americanos provam que homem pisou na Lua há 50 anos

  • 17/07/2019 - 10h59

Victor Ribeiro

No dia 16 de julho de 1969, o ser humano iniciava uma grande jornada, que alcançaria o ponto mais alto no dia 20 e voltaria a tocar o solo terrestre no dia 24.

 

Na gravação histórica, o astronauta Neil Armstrong, primeira pessoa a tocar o terreno lunar, declarou que foi “um pequeno passo para o homem, e um grande salto para a humanidade”.

 

A missão Apollo 11, que levou seres humanos a caminhar pela superfície da Lua, pela primeira vez, durou 8 dias, 3 horas, 18 minutos e 35 segundos, desde o lançamento do foguete Saturno 5, no Centro Espacial Kennedy, na Flórida, até o pouso da cápsula que trouxe Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins de volta à Terra.

 

Para a astrônoma brasileira Duilia de Mello, que trabalha na Nasa e é vice-reitora da Universidade Católica de Washington, aquele momento em que Armstrong pisou na Lua será, para sempre, a grande realização da humanidade no século 20.

 

Foi um grande feito. Mas não adiantam as imagens, os relatos e o reconhecimento da comunidade científica. Ainda hoje, muita gente não acredita que, um dia, o ser humano foi capaz de caminhar no único satélite natural do planeta.

 

O ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, o astronauta Marcos Pontes, admite que, na época, com seis anos de idade, duvidava da chegada do homem à Lua. E precisou ser convencido pelo irmão.

 

O civil Neil Armstrong, que tinha sido piloto de teste, era o comandante da missão Apollo 11; o comandante do módulo lunar Eagle - Águia, em inglês - era o piloto da Força Aérea dos Estados Unidos Michael Collins e o piloto do Eagle foi Buzz Aldrin, também militar da Força Aérea.

 

O Eagle tocou o solo da Lua às 16h18, no horário da Flórida, mas só às 22h56, 23h56 aqui no Brasil, Neil Armstrong saiu do módulo lunar e, com o pé esquerdo, deu aquele pequeno grande passo.

 

O astrônomo Eugênio Reis lembra, inclusive, que satélites lançados nos últimos anos fotografaram esse módulo e provaram que, sim, estivemos na Lua.

 

Mais de 3 mil jornalistas, de 56 países, acompanharam o lançamento da Apollo 11, no centro espacial. E levaram informações atualizadas ao público ao redor do mundo. Cerca de 1 bilhão de pessoas.

 

Naquele 20 de julho de 1969, os Estados Unidos venciam a corrida espacial, que fazia parte da Guerra Fria travada contra a União Soviética. Apesar de ser soviética a primeira sonda não tripulada a tocar a Lua, dez anos antes, foi a Apollo 11 a primeira missão a levar à Lua e trazer de volta, em segurança, três astronautas.

 

Para o presidente da Agência Espacial Brasileira, Carlos Moura, isso fez aquela missão ter sido tão grandiosa.

 

A última missão tripulada para a Lua foi a Apollo 17, em 1972. Agora, a Nasa planeja levar humanos de volta ao satélite em 2024.

Ir para a versão desktop