Pesquisadores da UFMG usam inteligência artificial para diagnosticar Covid-19

  • 18/07/2020 - 08h02

Gésio Passos

Identificar a contaminação pelo Covid-19 através das reações eletromagnéticas. Essa é a proposta de pesquisadores da Universidade Federal de Minas Gerais, a UFMG, para um novo método de diagnóstico de doenças virais.


Através da técnica da eletroscopia óptica, aplicada por meio de inteligência artificial, os pesquisadores buscam um novo método barato e sem necessidade de importação de reagentes químicos.


O professor Juan Carlos González Pérez, do departamento de física da UFMG, explica como funciona o método desta nova proposta.


A plataforma, batizada de Polivirus, já está patenteada e foi desenvolvida com financiamento de R$ 149 mil da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais. Mas, Juan Carlos aponta que é preciso mais R$ 2 milhões para acelerar a pesquisa.


A aplicação específica para a Covid tem 87% de assertividade, comparada aos testes laboratoriais para a doença. Está sendo desenvolvido também a utilização da técnica para diagnóstico da dengue e do Zika vírus.

Ir para a versão desktop