Congresso tenta retomar trabalhos em meio a denúncias; Aécio terá dia decisivo no STF

  • 19/06/2017 - 07h33

Priscilla Mazenotti

Amanhã (20) será um dia decisivo para o senador afastado Aécio Neves (PSDB). A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) analisará duas ações relativas ao parlamentar.


A primeira, é o pedido de prisão de Aécio feito pelo procurador-geral da República, Rodrigo Janot. Os ministros deverão analisar o caso com base no artigo da Constituição que diz que os parlamentares “não poderão ser presos, salvo em flagrante de crime inafiançável”.


O outro é o pedido para que Aécio Neves possa retomar suas atividades parlamentares. Ele está afastado do mandato desde o último dia 18 de maio.


A Executiva Nacional do PSDB se reúne na quarta-feira (21) para definir a data da convenção do partido, que vai escolher o novo presidente da legenda. A convenção foi antecipada justamente por causa da situação de Aécio Neves.


No Congresso, os parlamentares vão tentar retomar a rotina de reuniões e votações, mesmo com a crise agravada após a divulgação da entrevista de Joesley Batista, dono do frigorífico JBS, à revista Época.


Nesta terça-feira, uma audiência pública vai analisar as operações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) na aquisição de ações do Grupo JBS e a denúncia de que teria havido uma compra de grande quantidade de dólares, pelo frigorífico, pouco antes da divulgação da delação premiada dos irmãos Joesley e Wesley Batista.


A Proposta de Emenda à Constituição (PEC) das Eleições Diretas e a que proíbe coligações também serão discutidas. No Senado, a Reforma Trablahista deverá ser votada também nesta terça-feira.

 

* A participação da repórter foi ao vivo.

Ir para a versão desktop