Ex-governador Sérgio Cabral vira réu pelo décima quinta vez

  • 12/10/2017 - 15h45

Ícaro Matos

O Juiz Marcelo Bretas, da Sétima Vara Federal do Rio de Janeiro, aceitou mais uma denúncia contra o ex-governador do Estado, Sérgio Cabral, que virou réu pela décima quinta vez no âmbito da Operação Lava Jato.

 

Desta vez, Cabral é acusado de corrupção, lavagem de dinheiro, evasão de divisas e organização criminosa, em processo originado pela operação Unfair Play, que investiga um esquema de corrupção de grandes proporções no âmbito do governo do Estado, envolvendo fraude em licitações, formação de cartel, evasão de divisas e lavagem de dinheiro.

 

Um dos fatos apurados é a suposta compra de votos na eleição da sede da Olimpíada de 2016, que terminou com a escolha do Rio como local dos jogos.

 

Além do ex-governador, também são réus no processo outras 7 pessoas, entre elas o ex-secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes; e o empresário Arthur Soares, conhecido como “Rei Arthur”.

 

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, “Rei Arthur” pagou propina a diversas pessoas, em troca de vantagens na celebração de contratos entre suas empresas e o Governo do Rio.

 

Ele era o dono do Grupo Facility, apontado como o maior fornecedor de mão de obra terceirizada do Estado durantes as gestões de Cabral. Os contratos renderam ao empresário aproximadamente R$ 250 milhões  entre os anos de 2007 e 2014.

 

Ainda segundo o MPF, Cabral é acusado de receber 10 milhões e 400 mil  dólares em propina do "Rei Arthur" no exterior, entre março de 2012 e novembro de 2013; além de  R$ 1 milhão no Brasil, entre 2007 e 2011.

 

Já o ex-secretário estadual de Saúde, Sérgio Côrtes, teve a implantação do sistema de segurança de sua cobertura custeado pela Facility. O equipamento custou aproximadamente  R$148 MIL.

 

O Ministério Público informou ainda que as investigações em relação à suposta compra de votos para a escolha do Rio como sede dos Jogos Olímpicos de 2016, prosseguem com a Operação Unfair Play Segundo Tempo, e que a denúncia sobre o caso será oferecida em breve.

Ir para a versão desktop