Uso das Forças Armadas para desbloqueio de rodovias vale até 4 de junho

  • 25/05/2018 - 21h29

Victor Ribeiro

Ministros do núcleo político e da área de segurança detalharam, nessa sexta-feira, as ações das Forças Armadas para garantir o desbloqueio das estradas em todo o país. A operação de Garantia da Lei e da Ordem foi autorizada por um decreto do presidente Michel Temer. A ação está prevista para durar até o dia 4 de junho.

 

O ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional, Sérgio Etchegoyen, destacou os motivos que levaram o Palácio do Planalto a usar as Forças Armadas.

 

Em nota, a Anistia Internacional classificou como inadmissível e extremamente grave o uso das Forças Armadas para reprimir os protestos. A organização pediu que os governos federal e estaduais recuem nessa decisão.

 

Para evitar o desabastecimento, o presidente Michel Temer também poderá editar um decreto para permitir a requisição de bens. É uma previsão constitucional que permite ao governo levar alimentos, combustíveis e medicamentos à população em todo o país. O Planalto não sabe se essa medida será necessária.

 

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, afirmou que, já na noite de sexta-feira, não havia mais nenhuma via totalmente bloqueada pelo protesto dos caminhoneiros.

 

A Polícia Federal abriu inquérito para ouvir 20 empresários de transportadoras. O objetivo é descobrir se eles fizeram locaute. Ou seja, se usaram a greve dos caminhoneiros em proveito próprio. O locaute é ilegal e punível com prisão e multa.

Ir para a versão desktop