Governo quer aprovação antes do recesso parlamentar de recursos para intervenção no Rio

  • 11/07/2018 - 07h35

Kariane Costa

O governo espera que o Congresso Nacional aprove ainda neste primeiro semestre, antes do recesso dos parlamentares, a medida provisória (MP) que destina crédito no valor de R$ 1,2 bilhão para as ações da intervenção federal no Rio de Janeiro e, também, a que cria cargos e funções para o Gabinete da Intervenção.


A afirmação é do ministro da Secretaria de Governo, Carlos Marun, em entrevista, nessa terça-feira (10), no Palácio do Planalto.


Ele, que é o articulador politico entre o Planalto e os parlamentares, admitiu que o calendário eleitoral acaba prejudicando as votações do Senado e da Câmara.


Além da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2019, outra prioridade do governo, segundo Marun, é a conclusão da votação sobre o projeto que permite a privatização de seis distribuidoras de energia elétrica da Eletrobras, na Região Norte.


Marun informou que  a MP, que venceu nessa terça-feira, e trata da situação dos refugiados da Venezuela não será reeditada.


Segundo o ministro, os recursos empenhados em março – R$ 190 milhões para a ação do Ministério da Defesa - são suficientes para dar continuidade às ações de assistência e acolhimento humanitário aos imigrantes venezuelanos que chegam no Brasil em busca de ajuda.

Ir para a versão desktop