Bolsonaro pede à PF investigação de possível mandante de atentado sofrido em Juiz de Fora

  • 10/02/2019 - 17h43

Eliane Gonçalves

O presidente Jair Bolsonaro usou o Twitter para divulgar um vídeo em que pede que à Polícia Federal (PF) investigue um possível mandante de Adélio Bispo, responsável pela facada em Bolsonaro durante a campanha eleitoral, em setembro passado.


Segundo o inquérito da Polícia Federal, Adélio teria agido sozinho.


Ele foi preso em flagrante em Juiz de Fora (MG) e confessou o crime. Adélio está em um presídio de segurança máxima em Campo Grande.


O atentado foi enquadrado na Lei de Segurança Nacional e o autor responde por prática de atentado pessoal por inconformismo político.

 

Apesar de ter concluído que Adélio agiu sozinho, em dezembro a Polícia Federal abriu um inquérito para investigar quem paga a defesa do acusado.


A facada causou lesões no intestino do presidente, que desde então teve que passar por três cirurgias.

 

No vídeo divulgado neste domingo (10), o presidente também agradece aos médicos do hospital Albert Einstein e da Santa Casa de Juiz de Fora, responsável pelo primeiro atendimento a Bolsonaro, no dia 6 de setembro.


Ele também disse que nem todos têm a acesso ao tipo de tratamento que ele está recebendo no hospital particular de São Paulo e prometeu melhorar o SUS.

 

Segundo o boletim médico divulgado neste domingo, o presidente, que segue internado numa unidade semi-intensiva, melhorou o quadro pulmonar e continua tomando antibióticos.


Ele também já começa a ingerir alimentos pastosos associados à nutrição parenteral.

Ir para a versão desktop