Relator propõe que alteração na reforma da Previdência seja por projeto paralelo

  • 09/08/2019 - 09h59

Kariane Costa

Já com a PEC da Previdência em mãos, a presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Simone Tebet, do MDB, previu que no máximo em 70 dias a matéria será analisada pela comissão e votada no plenário.

 

Tebet detalhou como pretende conduzir os trabalhos na CCJ.

 

Já o relator da reforma, Tasso Jereissati , do PSDB, disse que pretende entregar o parecer sobre proposta em no máximo três semanas.

 

Tasso defendeu rapidez na aprovação da PEC, e que as alterações que vierem a ser apresentadas pelo senadores sejam por meio de projeto paralelo.

 

Dessa formas se evitará que o texto tenha que retornar à Câmara dos Deputados.

 

Mas, a oposição, de acordo com a senadora Eliziane Gama, do PPS, articula retirar alguns trechos da proposta.

 

Pontos como os critérios para beneficiário receber o BPC e a redução do teto para pagamento do abono anual Pis/Pasep.

 

Eliziane afirmou que a estratégia é usar todos os recursos regimentais disponíveis para mudar o texto aprovado pelos deputados.

 

Uma vez aprovada na Comissão, a PEC segue para votação em dois turno no Plenário do Senado.

Ir para a versão desktop