Acre defende atuação de médicos formados no exterior durante pandemia de Covid 19

  • 21/04/2020 - 11h37

Sâmia Mendes

Diante da pandemia do novo coronavírus, o governador do Acre, Gladson Cameli, solicitou liberação provisória para que médicos formados em faculdades de Medicina de outros países, e que detenham diploma válido, possam atuar no enfrentamento à pandemia do novo coronavírus durante o período em que os decretos de calamidade pública federal e estadual estiverem em vigor.

 

Segundo o governo do Acre, o pedido foi oficializado nessa segunda-feira ao ministro da Educação, Abraham Weintraub; ao ministro da Saúde, Nelson Teich; e para a presidente do Conselho Regional de Medicina do Acre, Leuda Davalos.

 

No documento, o governo acreano cita o aumento no número de casos confirmados de Covid-19 e a necessidade de medidas emergenciais compatíveis com a gravidade da doença.

 

A liberação sugerida seria somente para médicos formados em instituições de ensino estrangeiras, mas que se encontram impossibilitados de atuarem no Brasil por conta da falta de realização do Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos Expedidos por Instituições de Educação Superior Estrangeiras, processo mais conhecido como Revalida.

 

O Acre tem hoje 176 casos confirmados da Covid-19 e registrou 8 mortes. O índice de letalidade da doença no Estado é de 4,5%.

Ir para a versão desktop