Justiça nega liberdade a acusado de causar incêndio em reserva do RJ após tocar fogo no carro

  • 30/07/2020 - 17h27

Tatiana Alves

A Justiça decretou a prisão preventiva do homem responsável pelo incêndio criminoso que destruiu mais de 170 hectares da Reserva Biológica de Araras, em Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro.


As chamas começaram na segunda-feira, e por quase três dias consumiram a vegetação. O responsável pelo fogo foi Heli Barroso Martins, de 66 anos, que incendiou o próprio carro à beira da floresta, para receber o seguro do veículo.


A Justiça negou o pedido de liberdade para o acusado, que foi encaminhado para a cadeia pública de Benfica, zona norte do Rio, e ainda decretou sua prisão preventiva.


Heli Barroso Martins foi preso após a Polícia desconfiar de um possível 'golpe do seguro', devido às versões conflitantes dadas por ele na delegacia ao registrar o roubo do veículo. Imagens de câmeras de segurança de um posto de gasolina confirmaram que o acusado havia comprado combustível em uma garrafa pet, na segunda-feira, mesmo dia em que o carro foi encontrado destruído pelo fogo.


A defesa do acusado pleiteou a nulidade do procedimento em razão do indiciado pertencer ao grupo de risco para contrair Covid-19, em função de apresentar vários problemas de saúde. Mas não obteve êxito, já que os laudos apresentados não comprovam tais afirmações por estarem desatualizados.

Ir para a versão desktop